Apesar do baixo crescimento econômico em 2014, o sinal verde está aberto para empreendedores interessados em abrir franquias pelo país

Camila Ciccarelli, 27 de Abril de 2015.

O ano de 2014 foi um ano difícil para a economia brasileira. A queda em setores importantes, como a indústria, e avanços modestos no setor de serviços foram resultado de um crescimento na economia de apenas 0,1%, de acordo com o relatório de desempenho do Produto Interno Bruto (PIB). Segundo o mesmo relatório, divulgado pelo IBGE, o PIB per capta caiu e a soma das produções e riquezas nacional atingiu cerca de R$5,5 trilhões. Esses números mostram um crescimento muito abaixo em comparação aos anos anteriores, resultado de problemas surgidos desde crise financeira de 2009.

Para o franchising, entretanto, o cenário de crescimento, mesmo que menor do que os anos anteriores, ainda foi animador. A Associação Brasileira de Franchising (ABF) divulgou um relatório de evolução do setor para o ano e os números são todos positivos. O crescimento das redes de franqueadoras foi de 8,8%, atingindo quase 3.000 marcas.

Os segmentos de maior evidência no ano foram o de Negócios e Serviços (com 21% do faturamento total do setor), Alimentação (com 20,1%) e Saúde e Beleza (com 18.3%). Com relação à distribuição no número de franqueados por região, a ordem permaneceu a mesma do último ano, com o sudeste mantendo a liderança, seguido do sul, nordeste, centro oeste e norte, respectivamente.

Um dos principais destaques do setor no ano foram os quiosques. O aumento no número de redes que utilizam este modelo de vendas foi de 22%, um dos maiores registrados. Este crescimento deu-se principalmente dados os custos reduzidos de operação do negócio e a abertura dos shoppings centers ao modelo.

O ano de 2015 será o ano dos reajustes para a economia, porém as previsões da ABF ainda são animadoras para o setor. As projeções indicam um aumento de faturamento das redes de até 9%, com crescimento no número de unidades de cerca de 10%. Também será um ano onde poucos empreenderão, o que trará maior visibilidade para aqueles que o fizerem. Quem empreender pode acabar estando no lugar certo e na hora certa quando o fim da crise chegar.

*Camila Ciccarelli é gerente de franquias da SGS Soluções. Técnica em Informática pelo IFRN e Graduanda em Engenharia de Produção, pela UFRN. Atuou em projetos de consultoria estatística e ergonomia na Universidade de Toronto, no Canadá, onde cursou Engenharia Industrial. Na UFRN participou de projetos na área de inovação e desenvolvimento de produtos.
Atualmente atua como Gerente da SGS Soluções da linha de serviços de padronização de processos e franchising, auditando e adequando operações de empresas para uma expansão sólida e contínua. É responsável pela expansão de empresas como Lifestyle, Gourmet Burguer, Marex, Toli e Flor de Sálvia.
Outras Notícias